• Centro Amor e Luz

PEDRAS NO CAMINHO

Mensagem do espírito irmão Manoel, recebida pela médium B.S.L., em 08/08/17


O acúmulo de débitos e dissonâncias vibracionais com nossos irmãos, que convivemos ao longo de diversas encarnações em plano físico dos encarnados, eventualmente provoca obstáculos de grandes dimensões e difícil transposição, para os nossos corações ainda tão dessintonizados de vários aspectos do nosso equilíbrio espiritual, moral e psíquico.

Imaginem uma pequena pedra no chão, do tamanho de uma maçã. Praticamente todos nós, quase sem exceções, tem condições suficientes de transpô-la, sem dificuldades. Imaginem agora, um acúmulo de mil dessas pedras, formando montículo de altura significativamente superior. Imaginem a seguir, a quantidade de pedras que um espírito multimilenar, detentor de incontáveis experiências em sua trajetória evolutiva, tende a acumular.

Em um primeiro momento, podemos nos assustar e entender como intransponível tal obstáculo, levando muitos corações angustiados e irregrados a desnortear-se e optar por outros caminhos, onde o desequilíbrio e o desregramento apenas faz por produzir mais e mais pedras de débitos na estrada do caminho correto.

Deus, em sua suprema benevolência, permite a cada qual optar por seus próprios pensamentos e atos, produzindo e removendo tantas pedras quanto for do desejo individual de cada irmão. Entretanto, jamais destrói a estrada, o caminho está lá, apenas ainda de difícil acesso para muitos.

Do mesmo modo, quando observa o acúmulo excessivo de pedras, a atingir montante muito volumoso, toma atitude e redireciona, através de acontecimentos externos ao desejo individual, o caminho do irmão em desregulamento com suas Leis Divinas.

Temos a opção de remover, por vontade própria, cada uma das pedras que criamos, através do Amor, da Caridade e da Benevolência com o próximo, e assim seguiremos de modo reto nossa caminhada evolutiva.

Entretanto, em situações onde o extremo dos débitos se acumula, Deus nos insere em situações que nos causam dor e sofrimento, ao nos confrontar com as conseqüências de igual peso de nossas atitudes desregradas do passado.

Amorosamente, não nos obriga no resgate do montante completo das pedras de uma só vez. Permite, conforme as possibilidades individuais, o resgate da quantidade de pedras que em cada momento conseguimos suportar.

Deus conhece a cada um mais do que cada indivíduo a si mesmo, e direciona a carga certa suportável em cada experiência. Paulatinamente, a montanha que antes possuía mil pedras, se reduz para algumas centenas, dezenas, até se desmanchar por completo.

Progressivamente, conforme as pedras vão sendo retiradas e conseguimos percorrer o caminho rumo à Luz e ao Amor, aprendemos com as conseqüências de nossos erros, nos tornamos mais amorosos e compreendemos mais o nosso próximo, produzindo então menos pedras, e ao mesmo tempo conseguindo retirar em maior número outras.

Nos libertamos de nossas dívidas, engrandecemos em espírito e compreendemos cada vez mais Deus e o Universo.

Devemos nos lembrar sempre: todas as nossas pedras são decorrentes de nós mesmos. Em algumas situações, outro irmão pode facilitar ou até mesmo incentivar a produção das pedras, mas jamais criá-las ou retirá-las por nós.

As trevas apenas se criam ou saem de nossos corações, para dar lugar à Luz, por esforço e escolha individual.

Cabe a cada um de nós fazer uso da ajuda daqueles irmãos que já percorreram de modo mais avançado o caminho das pedras, aprender com suas orientações e experiências, e seguir com nossos próprios passos o Caminho do Amor Universal a que todos estamos destinados.


Fiquem em sintonia com Deus, Amor e Luz à todos os meus irmãos de Caminhada.

Irmão Manoel